CEATS
Home Contato
Ok

Destaques

DIÁLOGOS SOBRE GESTÃO SOCIAL

Cursos

DIÁLOGOS SOBRE GESTÃO SOCIAL Curso "in company" desenvolvido em forma de diálogo com os participantes, que a aborda e discute temas atuais de acordo com as necessidades e características da organização, como: - Evolução e Desafios no Terceiro Setor - Legislação sobre Pessoas Jurídicas no Terceiro Setor -Títulos e Certificação no Terceiro Setor - Trâmites Jurídicos na Gestão de uma Associação / Fundação - Marco Regulatório - Governança Corporativa - Questões de Governança no Relacionamento das Empresas com Organizações do Terceiro Setor - Direcionamento Estratégico

Sistematizar para Disseminar

Gestão no Terceiro Setor

O AFROREGGAE é uma reconhecida organização da sociedade civil que há 20 anos luta pela transformação social através da cultura e arte. O objetivo deste projeto de pesquisa é transformar as tecnologias sociais desenvolvidas pela OSC em métodos que possam ser disseminados e customizados. Tais tecnologias são 'inteligências organizacionais' derivadas das práticas de desenvolvimento comunitário criadas e implantadas.

Capacitação Gerencial IEB

Desenvolver uma breve formação sobre gestão de OSCIP (Instituto Escola Brasil) que permita às gestoras da organização conduzirem de forma adequada o Instituto e as resguarde de riscos e problemas associados ao desconhecimento de normas jurídicas e processos administrativos.


Depoimento Especial de Crianças e Adolescentes vítimas de abuso ou exploração sexual - Curso On

A Childhood Brasil é uma organização brasileira e faz parte da World Childhood Foundation (Childhood), organização internacional criada por Sua Majestade Rainha Silvia da Suécia, em 1999, para proteger a infância e deixar as crianças serem crianças. A Childhood Brasil luta por uma infância livre de abuso e exploração sexual há 12 anos. Ao longo desse período, a organização tem trabalhado estrategicamente para enfrentar este problema de forma integrada com empresas, governos, organizações e comunidades. Para isso, a organização apoia projetos, desenvolve programas regionais e nacionais, influencia políticas públicas e transforma a vida de muitas crianças e adolescentes. Também educa os diferentes agentes, orientando como cada um pode agir para lidar com o problema, promovendo a prevenção e formando proteção em rede. Dentre os vários programas e projetos que a organização desenvolve, encontra-se o “Depoimento Especial”. Nesta iniciativa, a Childhood compreende que, atualmente, crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de crimes sexuais são ouvidos cerca de oito vezes durante o processo judicial e essa repetição leva à revitimização por meio da revivência do trauma. Desta maneira, a Childhood Brasil vem trabalhando pela normatização do direito de crianças e adolescentes serem ouvidos nos processos de forma diferenciada e protegida. Ao apurar dados relativos aos métodos de tomada de depoimento de crianças e adolescentes em processos judiciais existentes no Brasil e em outras dezenas de países, a organização formatou o estudo “Depoimento Sem Medo – Culturas e práticas não revitimizantes: uma cartografia das experiências de tomada de depoimento especial de crianças e adolescentes”. Esta pesquisa tem como objetivo principal subsidiar a formulação de políticas de humanização do processo de participação de crianças e adolescentes em processos judiciais, tendo em vista o melhor interesse do público infanto-juvenil e sua não revitimização. Com base no projeto “Depoimento Especial”, a Childhood Brasil agora tem como proposta iniciar um processo de capacitação que possibilite disseminar a metodologia e a prática de um novo modelo de escuta de crianças e adolescentes que se encontram em situação de abuso ou exploração sexual, evitando assim a revitimização dessas pessoas e possibilitando encaminhamentos com mais respeito e cuidado. Desta maneira, conhecendo o CEATS e a atuação desta organização em diversas ações de promoção dos direitos da infância e da juventude no cenário nacional, sobretudo no que tange a espaços virtuais aplicados à causa, o Childhood Brasil entrou em contato com o Centro no final de novembro de 2011. O objetivo seria realizar uma parceria para o desenvolvimento de um curso de educação à distância, que inicialmente seria destinado aos operadores do sistema de atendimento de crianças e adolescentes vítimas de abuso ou exploração sexual. Durante o processo de estruturação do projeto, surgiu a possibilidade de a Childhood Brasil trabalhar também em parceria com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Além de ser um parceiro estratégico para o projeto (devido à legitimidade, ao peso institucional e à capilaridade de acesso aos operadores da justiça), o CNJ já possui um ambiente de educação à distância que poderá ser utilizado para a capacitação dos operadores da justiça.


A Escola Contra o Trabalho Infantil - Curso On Line

Desenvolvido a partir de uma parceria entre o Portal Pró-Menino e o CEATS, o Curso Online A Escola no Combate ao Trabalho Infantil acontece em um ambiente virtual de educação à distância desenvolvido para capacitar professores do ensino fundamental sobre os Direitos da Criança e do Adolescente, de forma a é contribuir para a implementação da Lei 11.525/07 que inclui conteúdos que tratem dos direitos das crianças e dos adolescentes no currículo do ensino fundamental, tendo como diretriz o Estatuto da Criança e do Adolescente.


Os Jovens e a Sustentabilidade

Artigo escrito pela Prof.ª Dr.ª Graziella Maria Comini e seu orientando e estagiário do CEATS Mardem Feitosa, publicado nos Jornal Folha de São Paulo, no caderno Empreendedor Social


Capital Humano e Sustentabilidade (CEATS & PROGEP)

Centro de Empreendedorismo Social e Administração em Terceiro Setor (CEATS/USP) juntamente com o Programa de Estudos em Gestão de Pessoas (PROGEP) tem se debruçado no estudo de mais um tema relevante acerca das interações observadas em organizações complexas. A complexificação do “mundo do trabalho” gera novos desafios a serem enfrentados pelas organizações. Mais além, este processo gera também desafios aos pesquisadores, os quais devem se manter atentos aos fenômenos sociais e buscar explicações para tais. Nesse sentido, temos desenvolvido um projeto de pesquisa intitulado de “Capital Humano e Sustentabilidade”. De modo geral, esta ideia partiu da percepção no modo como as empresas vêm tratando o tema da sustentabilidade, adequando-o a partir da visão de que não existem empresas sustentáveis sem humanos sustentáveis. A partir dessa mudança de paradigma, enfrentam o desafio de se atualizar constantemente diante da necessidade de incorporar e disseminar os valores da sustentabilidade no dia a dia da organização.